FISA 2007 .:Domingo:. Fecho e partida

O último dia de festival é sempre o mais complicado…o cansaço começa a fazer-se sentir em todos os participantes, ao que não será alheio a parte mais social destes eventos, que normalmente decorre no período da noite.

O FISA 2007 não foi excepção…

O meu companheiro de quarto teve uma noite em grande! De tal forma que de manhã nem se lembrava do quão grande tinha sido a noite…ficaram lá os vestígios no lava loiças, e foi o que me valeu para me safar de ser acusado de mentiroso 🙂

Estas pequenas tricas à parte, o dia acabou por ser bem passado. À chegada à praia pudémos assistir à estreia do “stack” de acrobáticos do nosso amigo José Vieira (e ao resto do show de fighters do Sérgio).

Ao longo da manhã o vento apresentou-se progressivamente mais forte. Pelo fim da manhã tivémos que tirar os papagaios ventilados para conseguir voar alguma coisa. À tarde o cenário foi-se degradando, a ponto de se tornar desagradável estar na praia.

Para que fique registado, o filme da nossa primeira apresentação pública, crédito ao irmão do Barradas que lá esteve para nos dar força e captar estes momentos especiais!

Video dos quadPT em Tavira

Enfim, foi um belíssimo festival, um que vai deixar saudades, certamente! Parabéns à organização pelo trabalho fantástico para colocar de pé este evento, e…até para o ano!

FISA 2007 .:Sábado:. O grande dia do festival

Depois de uma noite de descanso no belo aldeamento das Pedras del Rey, o dia começou com um sol magnífico, e uma temperatura primaveril que convidava ao passeio pela praia. Tomado o pequeno almoço, pusemo-nos a caminho da praia do Barril. Logo se tornou evidente que o vento nos ia fazer companhia, restava saber em que medida…

O comboio para a praia

À chegada à praia, lá estava o SérgioV com os papagaios de combate. Aos poucos foram chegando os vários grupos de participantes, que iam montando o estaminé e levantando os vários papagaios que traziam nos sacos. A meio da manhã o cenário estava muito bem composto e o festival estava a todo o vapor!

Foi então altura do team quadPT começar a preparar a sua exibição. Efectuados os últimos ensaios com os kite-sticks passámos à praia e voilá!

quadPT em treino

É importante referir que o FISA marcou a estreia absoluta em público dos papagaios de equipa, tendo sido também a primeira prestação em formato trio, agora sem o nosso amigo Paulo Basílio.

quadPT kites

A tarde chegou e com ela trouxe um vento mais forte, e progressivamente cada vez mais intenso à medida que o Sol ia percorrendo o céu. Assistimos a exibições diversas, dos franceses da R-Sky, do quadPT e do Barradas e José Carlos Dias individualmente, e também do João Monteiro, pela Prokites.

Em termos de kite-surf, as condições, embora não ideais, permitiram fazer o downwind até Montegordo, com um lote de 15 participantes, com apenas 2 a ter que desistir durante o caminho. Além disso, foi constante a presença de asas na praia do Barril, e também o nosso amigo Flip esteve imparável nos saltos e freestyle!

Flip

Foi um dia espectacular, soberbo mesmo, e termino dizendo que chegámos ao fim do dia completamente derreados e moídos (e alguns escaldões pela cara e pescoço…)

FISA 2007 – .:6ªf:. A chegada

Bom, agora que o efeito “anestesia” está aos poucos a passar, aqui fica finalmente um pequeno resumo do que foi o II Festival Internacional de Papagaios do Sotavento Algarvio, que decorreu nos passados dias 24 e 25 de Março, na praia do Barril, em Tavira.

Começar por dizer que se tratou do 1º festival da época de festivais nacional, e sendo apenas a 2ª edição, ainda está longe de se poder dizer que se trata de um festival de fortes raízes e tradições na cena nacional. Mas também se deve acrescentar que está no bom caminho para que a curto prazo passe a sê-lo… 😉

O festival começou na 6ªf à noite, no pavilhão da escola secundária de Tavira, onde após uma breve apresentação dos presentes, o Renato Dias nos presenciou com um pequeno workshop sobre vôo indoor.

O workshop foi necessariamente curto dado o pouco tempo disponível e os muitos participantes, mas deu para abrir o apetite. Como sempre, o Renato mostrou uma disponibilidade incrível e uma vontade de partilhar as suas muitas habilidades com todos os presentes.

A nível pessoal foi interessante, porque foi apesar de tudo a minha primeira verdadeira experiência de indoor. Devo no entanto dizer que não mudou grandemente a minha opinião sobre esta vertente do vôo de papagaios acrobáticos…demasiado cansativo 😛

Continuar a ler