Os meus papagaios

Elliot Primero

Primero - my first kite!

O meu primeiro papagaio! Comprado no Econauta (Benfica) algures no Verão do ano de 2001, por 15 mil reis (sim, na altura ainda não havia euros!). Sofreu muitas quedas e estragos nos primeiros tempos, foi o modelo que me deu a rodagem inicial e me viu fazer os primeiros axel’s 🙂

O Primero é um papagaio de 175cm de envergadura, estrutura em fibra de carbono de 6mm, e trazia de origem uma bridle standard 3 pontos com o ponto de união a ser um pequeno anel de metal. As linhas – vendidas à parte – de 70kg, em enroladores circulares, terminavam em anzol, e foi desta forma que aprendi a voar.

Stranger UL – Flexifoil

Stranger UL

Este Stranger foi uma compra de oportunidade. Era um dos últimos que o Papagaio Sem Penas tinha, e era um modelo de exposição, ao qual faltavam alguns conectores que entretanto tinham sido removidos para dar a algum cliente que deles precisava. O Stranger foi durante muito tempo, na altura em que era estudante universitário, o papagaio com que sonhei mas não podia comprar por não ter €€€ :).

É um modelo muito «old school» mas que é uma beleza de voar!

Eolo Flap Tech

O Flap Tech foi uma prenda dos meus pais de uma viagem a Andorra no ano de 2003. Terá custado à volta de 80 euros mas não sei ao certo. Desde o início que foi um papagaio estranho, desde logo porque tem uma configuração do trapézio (bridle) pouco convencional, com uma linha adicional que une a ponta das asas ao ponto de união.

Chegou a estar no Papagaio Sem Penas para arranjos, e tem sofrido várias tentativas de melhoria ao longo dos tempos, mas nunca consegui pô-lo a voar como gostaria. Tem um comportamento muito “radical”, com muito oversteer, e muito leve nas linhas.

Actualmente está no saco de “museu”.

Prism Fanatic

O Fanatic foi quando a “obsessão” a sério começou. Depois de alguns meses com o Primero, pensei que estava na altura de comprar um modelo que me permitisse dar o próximo passo, e entrar no mundo do freestyle. A escolha foi este modelo da firma norte americana Prism.

O Fanatic foi comprado via internet, na loja The Kite Connection. Demorou algumas semanas a chegar, depois de alguns episódios rocambolescos de perda de pacotes algures pelo caminho.

O Fanatic tem 185 cm de envergadura, é um kite intermédio, com uma aparência extraordinária (ainda hoje acho que é o papagaio mais bonito que tenho), mas com uma tendência enervante para prender as linhas de vôo nas pontas das asas…

Resta dizer que tenho 2 deles, porque a ideia era voar em pares com a minha mulher, o que até hoje nunca aconteceu (mas a esperança é a última a morrer!)

HQ Babytana

Este mini-kite fez durante largos meses as delícias da pequena comunidade de entusiastas num determinado período. E eu acho que tive alguma coisa a haver com isso, por ter sido o primeiro. Na altura andava à procura de um kite pequeno e leve, que pudesse levar para todo o lado, e rapidamente montar e metê-lo no ar. O escolhido foi o Babytana, e teve que ser uma encomenda especial ao Papagaio Sem Penas.

Algumas semanas mais tarde o meu amigo Rui Soares acabou por também comprar um, e daí para a frente, toda a gente queria ter um destes “bichos”, que nas palavras de um de nós, parecia ter vontade própria. Foi uma das “grandes estrelas” do Festival de Papagaios dos Açores, e hoje em dia quase toda a malta “da velha guarda” tem um no seu saco.

É um kite ultra-sensível, divertido para voar com pouco vento, mas serve para pouco mais do que fazer umas brincadeiras quando não há mais nada para fazer na praia.

Anúncios